☽❍☾

Grimoriun Noua
 
InícioPortalCalendárioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se
Torneio Noua Para Aprendizes a partir do dia 01/07/2012 Participe
Venha fazer parte dessa Familia... Vire um Moderador(Vagas Abertas)
De sua VOZ nos contacte para reclamações de Sugestões sua VOZ tem PODER

Compartilhe | 
 

 >Satanismo<

Ir em baixo 
AutorMensagem
|Mestre| Noua
Grãn Mestre
Grãn Mestre
avatar

Mensagens : 153
Sabedoria : 1077
Reputação : 0
Data de inscrição : 27/04/2010
Idade : 117
Localização : Cidade da Babilonia

MensagemAssunto: >Satanismo<   Qua Jun 20, 2012 8:37 am

O Livro Vermelho de Appin

Bom, neste tópico tratemos de analisar um velho grimoire. Daqueles
supostos tomos antigos, escritos com sangue de pessoas assassinadas em
couro vemelho arrancado de servos demoníacos apenas para esta função. O
livro em si é cercado de lendas, mas as chances de ser pura invenção
são absurdas.

Logo na introdução, a origem do livro é citada
de forma teatral e exagerada. Ele teria sido um compêndio de rituais e
evocações utilizadas pelo famigerado conde Vladislav Teppes,
vulgarmente apelidado de Dráculia - ele mesmo, o tio Drácula. Após
alguns anos o suposto mercador Joseph Appin o teria recebido das mãos
do cavaleiro vermelho. O mesmo teria morrido, e seus filhos violado o
túmulo em busca do livro - que já teria sido roubado e passado a
diante. Atualmente desconhece-se qualquer rumor sobre um original, e o
que temos aqui é um pedaço da suposta obra (se é que ela existe).

Então porque estamos incluindo em nossos registros de um fórum sério, um livro que talvez nem sequer exista?

A
resposta é simples. Tal como a goétia, talvez este livro tenha sido
escrito por algum ocultista que não queria revelar-se e atribuído a ele
uma história fantástica para que o mesmo tivesse alguma repercussão ou
impacto. De uma forma ou outra, os rituais incluídos nele são
medievalistas (a lá S. Cipriano, pra pior), mas demostram um grande
teor de ritualística e exemplos de sigilos e invocações funcionais, bem
como a mecânica bem demarcada e explicativa - que pode (e deve) ser
espelhada. Claro, com bom senso de omitir-se os sacrifícios Humanos
envolvidos no mesmo, e adptações necessárias as nossas leis sociais e
constituições e a nossa era moderna.

No grimório está presente
um ritual de "auto-consagração" (não confundir com iniciação), onde o
magista se apresenta as egrégoras com as quais irá se envolver durante
os trabalhos com este grimório. Muitos elementos deste ritual são
proveitosos, incluindo as evocações.

A parte dois apresenta
uma lista de "reis infernais", com breve descrição, apresentação de
sigilos e invocação. Obviamente, por favor, se forem seguir tal linha OMITAM
os sacrifícios Humanos, substituindo-os por outras formas de oferenda.
Não é necessário ser um assassino a sangue frio para ser um ocultista
de qualquer via. E nós aqui do Via Sinistrae somos contra quebrar
qualquer lei do seu país,
então eu acho que não estou falando com nenhum ser sem inteligência. Continuando...

A
parte 3 do livro narra como aprisionar uma alma humana em um objeto
contra a Vontade da mesma (útil, não?), como desenvolver alguns objetos
das evocações demoníacas e um destaque especial.

O sino dos
Malditos. Supostamente a evocação suprema ao Diabo cristão. Claro, em
uma forma absurdamente primitiva e ancestral, mas que pode ser vista
como uma metáfora para um ritual simplificado, mais funcional e sem a
necessidade de mortes de pessoas inocentes.

As invocações e
orações em Enochiano são outro ponto que vale ser estudado. Se a língua
de John Dee e Edward Kelly possui de fato algum "poder mágiko"
superior, eu não sei. Mas para mim a funcionalidade desta linguagem é
especial como forma de sigilar um intento ou oração de invocação a uma
entidade. Visto deste ponto, a coisa se torna muito interessante.

Este
é um livro que não deve ser levado ao pé da letra, mas utilizado de
forma simbólica e metafórica. Vale a pena frisar este fato. Eu não me
responsabilizo por quem segui-lo ao pé da letra.


Assim que eu possuir tempo, disponibilizarei aqui no Via uma versão deste grimório em inglês.

Satanismo Moderno (Ou a Church os Satan)

Bom,esta é só uma resenha sobre o assunto. Como
eu não faço parte desta corrente filosófica, vou evitar aprofundar-me
por demasiado deixando par aos membros que simpatizarem com esta crença
o direito de postarem complementos sobre a mesma. Mas como a área de
satanismo do forum anda meio as moscas,começarei com esta vertente
justamente por ser a "ovelha negra das ovelhas negras". Pois mesmo os
satanistas que se auto dominam "tradicionais" abominam tal corrente
filosófica. A meu ver,desnecessariamente. A Church of Satan não é
nenhum bicho de sete cabeças (sem trocadilhos) maior que a Thelema ou
outra ordem qualquer que pregue o livre arbítrio. E nem tão poser
quanto os ditos satanistas "tradicionais" atuais, com exceções que
conto nos dedos de uma das mãos. E sobram dedos. (É... muita gente vai
me CRUCIFICAR de ponta cabeça por isso. Mas não estou contando nenhuma
mentira...)Enfim,vamos lá.


Anton Szandor LaVey
(Nome real: Howard Stanton Levey) nasceu na Chicago em 11 de Abril de
1930 e morreu em São Francisco em 29 de Outubro 1997, possuía
ascendencias Romenas e Alemãs. Sua história é bem fantasiada em vários
pontos,mas em sua biografia é curioso o fato de seus vários empregos
bem incomuns e todos voltados para a arte. Ele já foi fotógrafo forense
e domador de feras em circos. Duas profissões nada convencionais e para
pessoas come stomago um tanto o quanto forte. Mas foi como um simples
pianista de bar que ele teve o seu momento "brilhante".

Lavey
tocava em uma igreja local pelas manhãs e também a noite como pianista
de um strip club. O trecho retirado da bíblia satanica ilustra os
motivos que levaram ao surgimento da COS

"No Sábado à noite
eu via homens que desejam as garotas seminuas que dançavam no parque, e
no domingo pela manhã quando eu estava tocando órgão para a barraca dos
evangelistas no outro extremo do parque, eu via estes mesmos homens se
sentarem nos bancos da igreja com suas esposas e filhos, pedindo para
que Deus os perdoasse e os limpá-se de seus desejos carnais. E na
próxima noite de sábado eles sempre voltavam para nossas meninas ou
para algum outro local de indulgências”.

“Eu soube então que a Igreja Cristã prospera em hipocrisia, e a natureza carnal daquele homem sempre existirá!”.


Em
uma noite de Abril de 1966, durante o Walpurgisnacht (exatamente após 6
meses do halloween,dia 30 de Abril. Comemorado na primavera nos países
do Norte Europeu. Envolve musicas,danças e oferendas a deuses) ele
decidiu raspar sua cabeça e dar início a saga da Igreja de Satan, pela
necessidade crescente de uma Igreja que pregasse a indulgencia a carne
e a realização dos desejos por parte de seus membros.

Os
dogmas da tal COS eram até que muito bem fundamentados. Segundo Lavey
Satan não seria uma entidade. Ele seria uma força motora e de ação e
movimento (aproximadamente a descrição do Orixá Exu quando analisamos
de perto...). Satan estaria presente no Interior do próprio Satanista e
cada atitude de indulgencia seria uma forma de alegrar este deus
interior.
Por ser o portador de seu Deus, toda
adoração,ritualistica e adoração de um satanista "Laveyniano" seriam
obviamente dirigidas a si mesmo.
Os Deuses seriam nada mais do que
uma projeção feita pelo homem de suas próprias divindades interiores.
Uma forma de compreender o interior colocando para fora. Um espelho do
homem.
Graças a uma declaração equivoca de Peter H. Gilmore (atual
líder após a morte de lavey) os adeptos desta filosofia terminaram
taxados como "ateus disfarçados" ou humanistas fingindo serem
ocultistas. Uma das razões para a rixa entre "tradicionais e
modernistas".

"Os satanistas não acreditam no sobrenatural,
nem em Deus e nem no Demônio. Para o satanista, ele é seu próprio Deus.
Satã um símbolo do homem vivendo da forma como dita sua natureza carnal
e magnífica. A realidade por trás de Satã é simplesmente a força
obscura e evolucionária da entropia que permeia toda a natureza e dá os
meios para a sobrevivência e propagação inerente a todas as coisas
vivas. Satã não é uma entidade consciente a ser adorada, mas uma
reserva de poder dentro de cada ser humano para ser tomada à vontade.
Assim, qualquer conceito de sacrifício é rejeitado como uma aberração
cristã — no Satanismo não há divindades por quais se sacrificar."

-Peter H. Gilmore

Em
verdade,Lavey nunca disse isso,pelo contrário! Uma das leis satanicas
citadas por ele diz que "menosprezar o sobrenatural após ter se
beneficiado dele, faz com que se perca o obtido". Parece que colocaram
palavras na boca de um defunto.

A filosofia da Igreja de Lavey
foi a coisa que mais me agradou e me valeu ao adquirir meu exemplar da
Bíblia Satânica. É de fato uma filosofia muito boa,e que se fosse
seguida por alguns "satanistas tradicionais" (não,não citarei nomes -
mas eles sabem quem são) ou até por alguns ocultistas em geral, talvez
a cena fosse melhor hoje em dia. A base filosofica seria:

As Nove Declarações Satânicas

1-Satã representa indulgência ao invés de abstinência!
2-Satã representa a existência vital ao invés de sonhos espirituais fantasiosos!
3-Satã representa sabedoria pura ao invés de auto-ilusão hipócrita!
4-Satã representa bondade para quem a merece ao invés de amor desperdiçado aos ingratos!
5-Satã representa vingança ao invés de virar a outra face!
6-Satã representa responsabilidade para o responsável ao invés de dar atenção a vampiros espirituais!
7-Satã representa o homem como outro animal, algumas vezes melhor, mas
geralmente pior do que aqueles que caminham sobre quatro patas, e que,
por causa de seu "desenvolvimento espiritual e intelectual", tornou-se
o animal mais maligno de todos!
8-Satã representa todos os chamados pecados, desde que eles levem à gratificação física, mental ou emocional!
9-Satã tem sido o melhor amigo que a Igreja já teve, já que é ele que tem cuidado de seus negócios por todos esses anos!

As Onze Regras Satânicas da Terra
1-Não dê opiniões ou conselhos a menos que alguém os peça.
2-Não conte seus problemas aos outros a menos que você esteja certo de que eles estão dispostos a ouvi-los.
3-Quando no lar de alguém, demonstre respeito, caso contrário não vá lá.
4-Se um convidado em seu lar lhe irrita, trate-o com crueldade e sem piedade.
5-Não avance sexualmente a menos que lhe seja dado um sinal positivo.
6-Não pegue algo que não lhe pertença, a menos que seja um fardo para a outra pessoa e ela peça para ser livrada dele.
7-Esteja ciente do poder da mágica se você a empregou com sucesso para
obter seus desejos. Se você negar o poder da mágica após tê-la
utilizado, perderá tudo o que obteve.
8-Não concorde com nada com o que você tenha que se submeter.
9-Não faça mal a crianças pequenas.
10-Não mate animais não-humanos a menos que seja atacado, ou para comer.
11-Ao andar em território aberto, não perturbe ninguém. Se alguém lhe
perturbar, peça para parar. Se ele não parar, destrua-o.

Ok,de
tudo estas 11 aí me chamaram mais atenção que tudo. Basicamente se
resumem a "Não seja um pedofilo/estuprador,não seja ofensivo sem
necessidade,respeite a casa alheia e cuide da sua maldita vida e deixe
a minha em paz".


Os Nove Pecados Satânicos
Estupidez — Está no topo da lista dos pecados satânicos, sendo o
principal pecado do Satanismo. É uma pena a estupidez não ser dolorosa.
Uma coisa é ignorância, mas nossa sociedade incentiva a estupidez. Isso
tem a ver com as pessoas indo onde quer que lhes é dito para ir. A
mídia promove a estupidez como uma postura cultivada que não só é
aceitável, como é louvável. Os satanistas precisam aprender a enxergar
através do que lhes é dito e não concordarem em agirem como estúpidos.
Pretensão — Uma postura vazia pode ser muito irritante e não aplica as
principais regras da Magia Inferior. Está em pé de igualdade com a
estupidez por manter o dinheiro circulando nos dias de hoje. Cada um é
levado a se sentir como um fardo pesado, tendo dinheiro ou não.
Solipsismo — Projetar suas reações, respostas e sensibilidades em
alguém é provavelmente bem menos responsável que você pode ser muito
perigoso para os satanistas. É o erro de esperar que as pessoas lhe
deem a mesma consideração, cortesia e respeito que você naturalmente as
dá. Elas não darão. Ao invés disso, os satanistas precisam concentrar
suas energias para aplicar o ditado "faça com os outros o que eles
fazem com você". Dá trabalho para a maioria de nós e requer constante
vigilância, mas lhe tira a ilusão confortável de que todos são como
você. Como dito, certas utopias seriam ideais em uma nação de
filósofos, mas infelizmente (ou talvez felizmente, de um ponto de vista
maquiavélico) estamos bem distantes disso.
Auto-ilusão — Consta nas
"Nove Declarações Satânicas", mas merece ser repetido aqui. É outro
pecado principal. Não podemos nos curvar a quaisquer das vacas sagradas
que nos são apresentadas, incluindo os papéis que esperamos
desempenhar. A única ocasião onde a auto-ilusão é bem-vinda é por
diversão, e com cuidado. Mas neste caso, não é auto-ilusão!
Conformismo de massa — É óbvio do ponto de vista satanista. Não há
problema com os desejos de alguém, desde que eles os beneficie. Mas
apenas os tolos seguem o bando, deixando uma entidade impessoal lhe
dizer o que fazer. A chave é escolher um mestre sabiamente, ao invés de
ser escravizado pelos caprichos de muitos.
Falta de perspectiva —
Novamente, esta pode trazer grande dor para o satanista. Você jamais
deve perder a visão de quem e o que você é, e que ameaça pode ser, por
sua própria existência. Estamos fazendo história agora e a todo
momento, todos os dias. Sempre tente manter uma ampla visão histórica e
social na mente. Esta é uma importante chave tanto para a Magia
Inferior quanto para a Magia Superior. Veja os padrões e encaixe as
coisas se você quer que as peças fiquem em seus devidos lugares. Não se
abale pelas impressões da massa: tenha consciência de que você está
trabalhando em um outro nível, além do resto do mundo.
Negligência
da ortodoxia do passado — Esteja alertado que esta é uma das chaves
para a lavagem cerebral das pessoas de modo a aceitar algo diferente e
novo, quando na realidade é algo que já foi aceito mas agora é
apresentado numa nova embalagem. Deliramos com a genialidade do suposto
criador e esquecemos do original. Isto forma a sociedade alienada.
Orgulho contraprodutivo — Esta segunda palavra é importante. Orgulho é
bom até a hora em que você começa a jogar o bebê fora junto com a água
da banheira. A regra do Satanismo é: se funciona para você, ótimo.
Quando para de funcionar para você, quando você está no canto da parede
e a única saída é dizer "sinto muito, cometi um erro, desejo que
possamos nos ajustar de algum modo", então o faça.
Falta de
estética — Esta é a aplicação física do fator de balanceamento.
Estética é importante na Magia Inferior e deve ser cultivada. É óbvio
que ninguém pode ganhar dinheiro fora dos padrões clássicos de beleza e
forma na maior parte do tempo, sendo assim desencorajados na sociedade
consumista; mas uma atenção para a beleza, para o balanceamento, é uma
ferramenta satanista essencial e precisa ser aplicada para a maior
eficácia mágica. Não é o que é supostamente prazeroso: é o que
realmente é. Estética é algo pessoal, reflete a natureza individual,
mas existem configurações universalmente agradáveis e harmoniosas que
não devem ser negadas.

Conceito da Sombra de Satan

Muito é dito sobre a real natureza da existência de Satã em debates de
satanistas, cada um defendendo suas teorias, numa tentativa desenfreada
de alimentar seu ego, mostrando sua "razão" aos outros. Entretando,
agora pretendo explicar da maneira mais simplista do mundo a existência
do nosso famoso Opositor através de três afirmações básicas:

1° Satã é real


Não importa se você acredita nele ou não, isso não muda esse fato.
Sabemos que o Universo é real, mesmo que você acredite que tudo não
passa de uma ilusão, isso não mudará esse fato.

3° O conceito do
que Satã representa é o que varia. Anton Szandor LaVey, com sua Bíblia
Satânica, nos deu uma ideia moderna do que esse ser representa. No
ponto de vista satânico-laveyano, Satã é um arquétipo da Natureza
Humana, é a Chama Negra que está presente em cada um de nós, é o nome
dado para simbolizar a parte obscura (não por ser má, mas por estar
oculta porque NÓS a ocultamos e a ignoramos) de nosso Self.


Partindo desse último conceito, vemos Satã como um símbolo da "Sombra". Mas o que seria essa Sombra?

No
conceito da psicanálise jungiana, esse seria o lado criativo e pouco
explorado da Consciência, ele está sempre lá e, quando ignoramos esse
lado (personificado como Satã), ele tende a se tornar hostil e, posso
dizer sem medo de errar, nosso inimigo. Se o aceitamos como parte de
nós, temos uma longa tarefa pela a frente. Porque? Porque o lado
"luminoso" nós já conhecemos como a palma de nossas mãos, por causa das
religiões divinas que nos impõe apenas esse lado, nos impedindo
de conhecer o lado inexplorado (sombrio) sob ameaças de um "Inferno de
fogo" ou o que quer que seja.

Basicamente, no Satanismo
instituído por LaVey, Satã é usado como um símbolo daquilo que há de
mais oculto no Homem, pois foi ele mesmo que o ocultou. Todos os seus
desejos, a sua vontade e todos os chamados "sete pecados" que, sob a
perspectiva satânica, são sete virtudes que levam à plena satisfação
física e emocional e que são naturais para qualquer animal, com
excessão do humano, que se tornou um ser anti-natural e domesticado.


Satã e demônios como partes da psique:

Nesse
ponto de vista, todos os deuses adorados na Antiguidade foram baseados
em partes de nossas próprias mentes e "exteriorizados" na forma de
seres reais, por seus adoradores. Sob esse mesmo ponto de vista, alguns
satanistas crêem que eles não são somente seres criados por nossos
cérebros carnais. Ora, até mesmo durante um ritual grupal satânico,
entidades infernais são convocadas pelos os presentes como "arquétipos
da Sombra" e, em muitos casos, são adquiridos os resultados desejados.
Porque? Provavelmente, a energia gasta no ritual e mais as estruturas
psíquicas exteriorizadas na forma de entidades demoníacas, deuses das
trevas, etc, deu suporte a uma egrégora e esses seres passaram a
existir num outro nível dimensional, o mesmo acontecendo com os deuses
antigos, mas isso é papo pra outro post.

Se os 72 daemons da
Goetia, por exemplo, são partes de nossa psique exteriorizadas durante
o ritual de evocação, então há muitas formas de entrar em sintonia com
essas forças e "programá-las" para obter o efeito desejado, sem
necessariamente exteriorizá-las, apenas entrando num real contato com
elas e as programando em sua própria mente.

Claro, esse último conceito não pertence, necessariamente, ao que LaVey ensinou quando era vivo, é só uma teoria plausível.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://noua.livreforum.com
 
>Satanismo<
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
☽❍☾ :: Sobrenatural :: Ocultismo-
Ir para:  
Forumeiros.com | © phpBB | Fórum grátis de ajuda | Fale conosco | Assinalar uma queixa | Fóruns grátis no Forumeiros